23 de dezembro de 2017

Máscara Capilar Matizadora da Salon Line - Resenha



Eu confesso que não pesquisei sobre a Máscara Capilar Matizadora da Salon Line antes de comprar o produto. A informação na embalagem, sem sulfato, pretolado, parafina e óleo mineral, me ganhou. Comprei e já usei algumas vezes. Conto minha experiência com ela aqui.

Só agora, depois que algumas amigas do face, do Grisalhas assumidas e em transição, me sugeriram usar a máscara preta e, porque então fui pesquisar sobre essa última me interessei em pesquisar também sobre a primeira, já que não tinha pesquisado nada sobre ela.

Vejamos a Composição:
Aqua, Disodium EDTA, Basic Blue 99, Acid Violet 43, Basic Brown 16, CI 60730, CI 73015, PEG-150/Decyl Alcohol/SMDI Copolymer, PEG-90M, Glycerin, Citric Acid, Cetrimonium Chloride, Behentrimonium Methosulfate, Behentrimonium Chloride, Hydrogenated Vegetable Oil, BHT, Hydrogenated Soybean Oil, Cocos Nucifera Oil, Cetearyl Alcohol, Methylchloroisothiazolinone, Methylisothiazolinone, Amodimethicone, Parfum, Rubus Fruticosus Fruit Extract, Albumen, Vitis Vinifera Seed Oil, Hexyl Cinnamal, Linalool.


O silicone presente na fórmula, Amodimethicone, segundo o Ecycle "é um e
xemplo clássico do silicone "inteligente", que busca as partes danificadas de cabelo para agir. Ele funciona muito bem, porém se acumula após três aplicações." Ou seja, ele não é solúvel em água, não sendo indicado para quem usa a técnica No Poo, pois é necessário o uso de xampu para retirar o produto dos cabelos.


O Methylisothiazolinone (MIT) e o Methylchloroisothiazolinone (CMIT), também presentes na fórmula são conservantes amplamente utilizados em produtos cosméticos. Segundo a Compaign for safe cosmetics eles funcionam como inibidores do crescimento bacteriano. Ambos são dois dos alérgenos de contato mais predominantes encontrados em produtos cosméticos. Em um estudo clínico, os pesquisadores descobriram que a irritação dérmica ocorre mais comumente em produtos com misturas CMIT e MIT, mas não é tão comum em produtos com apenas MIT. Ainda segundo a Compaign for safe cosmetic, se você não é alérgico, o MIT e o CMIT estão entre os conservantes mais seguros em relação aos efeitos crônicos sobre a saúde a longo prazo.

Behentrimonium Methosulfate: o blog Feirinha Chic afirma que este componente potencializa a capacidade dos produtos de condicionar os fios deixando-os mais maleáveis e macios. Junto com o Cetearyl Alcool o efeito do behentrimonium methosulfate se potencializa. É um produto sinteticamente criado a partir de óleo de canola modificado. É insolúvel em água, mas dispersável em água e óleo, segundo o Natural Wellbeing. É também considerado o melhor entre os agentes condicionadores de cabelo por causa de sua propriedade para engrossar, condicionar e desembaraçar os cabelos.

Sobre os PEG, não encontrei nada relevante sobre o PEG-90M. O PEG-150 (PENTAERYTHRITYL TETRASTEARATE) é um emulsificante, segundo a Nature's Pulchritude. É seguro nas práticas atuais de uso e concentração em cosméticos. O componente também não está em nenhuma das listas de produtos químicos tóxicos da GoodGuide que causem efeitos de saúde suspeitos ou reconhecidos. Os demais componentes, não localizei muita coisa, o Disodium EDTA é um conservante, conforme Cosmetic Info e os Basic Blue 99, Acid Violet 43, Basic Brown 16, CI 60730, CI 73015 são corantes.

Bom gente, estes eram os componentes que poderiam ser mais prejudiciais à saúde. No geral é um produto bom. O únicos poréns são: ter silicone insolúvel, que torna necessário o uso de xampu para tirá-lo dos cabelos. Para quem faz No Poo como eu, não é indicado. Além disso, a combinação do Methylisothiazolinone (MIT) e o Methylchloroisothiazolinone (CMIT) juntos na fórmula podem causar alergias. Por isso, se o couro cabeludo estiver irritado, o produto deve ser evitado.

O próximo produto a testar é a Máscara Matizadora Black Platinum Poder da Eloah Cosméticos. Logo conto como foi, posto fotos do antes e depois e a resenha do produto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Topo