3 de maio de 2018

Meus cabelos estão caindo, será que é normal?


Nós perdemos normalmente uma média de 100 fios de cabelo por dia. É média, o que significa que umas pessoas perdem mais e outras menos. Pra você não se desesperar ou ficar paranoica, como eu já fiquei tantas vezes, eu trouxe uma pequena pesquisa que fiz sobre o assunto e a minha experiência de 6 anos de queda de cabelos até finalmente a solução do problema. Neste post, falo sobre quando percebi que estava perdendo cabelo além do normal e na sequência publicarei mais dois posts, um sobre os tratamentos que fiz durante o período de queda até a descoberta da causa e o último desta série sobre queda de cabelos, que conto como descobri a causa da queda e o tratamento que resolveu definitivamente o problema. Vamos lá?


Entendendo o ciclo de vida de um fio de cabelo

Esta foi a melhor definição que eu encontrei, por isso transcrevi aqui, ipsis litteris: "O crescimento do cabelo não é um processo contínuo. Na verdade, cada fio do couro cabeludo cresce no intervalo de 4 a 6 anos, interrompe o crescimento por aproximadamente 20 dias e, a seguir, cai. Em seu lugar, começa a nascer um novo fio sadio e o ciclo se repete. Isso faz com que os fios do couro cabeludo estejam sempre em fases diferentes desse ciclo. Por isso a perda de aproximadamente 100 fios de cabelo por dia é considerada normal." (Vya Estelar, 2016)

Quando os cabelos começam a cair além do normal

Normalmente demoramos um pouco pra perceber porque a queda vai aumentando gradativamente. Não acontece de forma abrupta, por isso vamos nos acostumando e quando percebemos já estamos perdendo há algum tempo. Foi assim comigo. Num determinado dia, no início de 2012, eu passei as mãos nos cabelos e elas ficaram cheias de fios, na hora eu me toquei - não era nada normal. A partir daí eu comecei a dar mais atenção e aos poucos comecei a perceber que o volume de cabelos estava diminuindo.
E pensar que eu já reclamei desse volume... 
Então procurei ajuda e mesmo que tenha demorado a descobrir a causa, os tratamentos ajudaram a controlar a queda e a não ficar careca.

A cada novo tratamento eu já percebia melhora. Ficava bem animada. Mas após alguns meses começava a cair de novo. Parecia que tudo ia bem, quando eu percebia o piso do meu banheiro cheio de cabelo. Aliás, era esse o medidor de queda mais eficaz. Mesmo que eu tivesse lavado os cabelos de manhã, momento em que naturalmente caem mais fios, à noite, o piso fora da área de banho do meu banheiro, já estava cheio de cabelo. Era nesse momento que eu percebia que era hora de mudar o tratamento. Voltada na dermato, repetia os exames e mudava o tratamento. E assim foi por 6 anos, com períodos de controle da queda e outros de queda intensa. Passei por duas dermatos e duas endócrinos. Eu fazia também acompanhamento da tireoide a cada 6 meses, pois ela não era estável. Sempre oscilava, embora sempre dentro dos limites da normalidade.

Da última vez que a queda de cabelos se intensificou (era dezembro de 2017), eu perdi tanto cabelo, o  meu couro cabeludo estava tão ralo e eu já tinha feito tantos tratamentos, que fiquei extremamente desanimada, tanto que não me chateou a ideia de ficar careca. Cheguei a pensar que não adiantava mais lutar contra a natureza e que ficaria careca mesmo. Sorte que o desânimo não durou muito e novamente procurei ajuda. Fui primeiro na dermatologista. Desta vez, como já tínhamos tentado de um tudo, ela me receitou ferro, antes mesmo do exame ficar pronto e Finasterida, aquele que é indicado para homens (sabe?). Deu uma melhorada por uns dias, eu pensei, nossa! Vai ver era isso então... que nada, como das outras vezes, passado o período de euforia, meus cabelos voltaram a cair. Mas graças a Deus essa foi a última vez!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Topo